10 lugares na Rússia de visita obrigatória

Estudar na Rússia é uma ótima oportunidade para combinar os estudos e viagens. Na Rússia há muitos lugares lindíssimos e paisagens únicas.

Kremlin de Moscovo e a Praça Vermelha

Imagem №1 – 10 lugares na Rússia de visita obrigatória
© flickr.com/Damian Kania

Este não é só o símbolo de Moscovo, mas também de toda a Rússia. O Kremlin é a parte mais antiga da cidade onde a fortaleza do príncipe Yuriy Dolgoruky foi fundada, e mencionada pela primeira vez nos anais em 1147. O seu território ocupa um complexo de construções dos séculos XV-XIX, incluindo o Grande Palácio do Kremlin, a Armaria, o edifício do Senado onde se encontram as residências do presidente russo, igrejas e exemplos da arte de fundição russa: canhão do Czar e o sino do Czar. Na Praça Vermelha, cuja história começou no século XIV, está a Catedral de São Basílio, o edifício do Museu Histórico Estatal e o Mausoléu do líder bolchevique Vladimir Lenin.

O Kremlin e a Praça Vermelha estão protegidos pela UNESCO desde 1991.

O centro histórico de São Petersburgo

Imagem №2 – 10 lugares na Rússia de visita obrigatória
© shutterstock.com

São Petersburgo é uma das cidades mais bonitas do mundo, principalmente graças à sua arquitetura única. O seu centro histórico e subúrbios são famosos pelos monumentos de arquitetura palaciana e eclesiástica, criados por mestres russos e italianos dos séculos XVIII-XIX.Entre os lugares de visita obrigatórios estão: a Fortaleza de São Pedro e São Paulo, a Catedral de Pedro e Paulo, Kunstkamera, o Palácio de Verão de Pedro I, o Palácio de Inverno, o Convento Smolny, o Museu Hermitage, a Academia de Ciências, Academia de Belas-Artes, Palácio de Mármore, os Palácios Tauride e Anitchkov, as Catedrais de Kazan e Isaac, a Seta da ilha Vasilievsky, a Praça do Palácio, a Avenida Nevsky.

Além do centro histórico de São Petersburgo, também existem palácios protegidos pela UNESCO e conjuntos de parques dos seus subúrbios, o mais luxuoso dos quais pode encontrar em Peterhof.

Pilares do Lena

Imagem №3 – 10 lugares na Rússia de visita obrigatória
© lenskiestolby.ru

Os Pilares do Lena são formações rochosas verticais que se estendem por 40 km ao longo das margens do rio Lena, em Yakutia. A sua origem remonta ao início do período cambriano (530 milhões de anos atrás).

Ao longe, os pilares parecem um muro monolítico, descendo para o rio. Austeros e ao mesmo tempo majestosos, fascinam pela sua beleza extraordinária.

Sob a proteção da UNESCO desde 2012.

Ilhas Solovetsky

Imagem №4 – 10 lugares na Rússia de visita obrigatória
© shutterstock.com

O arquipélago Solovetsky inclui seis ilhas com mais de 300 metros quilómetros quadrados, localizadas no Mar Branco, a 250 km de Arkhangelsk. Inclui muitos locais arqueológicos, o mais antigo deles pertence ao II-III milénios a. C. Um dos objetos centrais é o mosteiro de Solovki, fundado na primeira metade do século XV. No início do século XX, o bastião secular da ortodoxia foi transformado num campo para prisioneiros políticos, que existiu até 1939. A vida monástica nas ilhas só foi retomada nos anos 90.

O arquipélago Solovetsky, transformado numa reserva histórico-cultural, é interessante não apenas pela sua plena história dramática completa, mas também pela sua paisagem extraordinária, incluindo colinas, lagos e depressões.

Protegido pela UNESCO desde 1992.

Monumentos de pedra branca de Vladimir e Suzdal

Imagem №5 – 10 lugares na Rússia de visita obrigatória
flickr.com/Alexey Bogdanovsky

Os exemplos mais brilhantes deste estilo são as Catedrais da Assunção e Dmitrievsky de Vladimir, os Portões Dourados, a Catedral de Natal de Suzdal e as câmaras de arcebispo do Kremlin de Suzdal, os mosteiros de Salvador Eutímio e de Pokrovsky.

As suas principais características incluem a alvenaria de lajes de calcário branco, proporções requintadas, gravura de pedra fina, leveza externa dos edifícios inscrita na paisagem natural.

Os exemplos mais brilhantes deste estilo são as Catedrais da Assunção e Dmitrievsky de Vladimir, os Portões Dourados, a Catedral de Natal de Suzdal e as câmaras de arcebispo do Kremlin de Suzdal, os mosteiros de Salvador Eutímio e de Pokrovsky.

Foi incluído na lista do património mundial da UNESCO em 1992.

Lago Baikal

Imagem №6 – 10 lugares na Rússia de visita obrigatória
© shutterstock.com

Localizado no sul da Sibéria Oriental, o Lago Baikal é um objeto natural único, com mais de 25 milhões de anos. É o mais antigo reservatório de água doce da Terra. É o lago mais profundo do mundo. É o maior lago da Rússia. Possui 20% das reservas globais de água doce.

As águas do Baikal distinguem-se pela transparência. Alguns objetos são visíveis a uma profundidade até 40 metros. A flora e fauna do lago inclui milhares de espécies e variedades de plantas e animais, 3/4 deles não se encontram em outros lugares. A beleza extraordinária do lago Baikal e da área circundante, com muitas baías pitorescas e falésias bizarras, atrai turistas de toda a Rússia e do mundo. É um dos lugares turísticos mais populares na Rússia.

É objeto da UNESCO desde 1996.

Vale dos géiseres e vulcões de Kamchatka

Imagem №7 – 10 lugares na Rússia de visita obrigatória
© shutterstock.com

Localizada no Extremo Oriente da Rússia, a Península de Kamchatka é um enorme museu natural de vulcanologia, com mais de 300 vulcões ativos e extintos, dezenas de géiseres.

Fundada em 1934, a Reserva da Biosfera de Kronotsky engloba 26 vulcões (incluindo 12 ativos), glaciares de montanha e lagos.

O Vale dos Géiseres é o único na Eurásia, e é um fenómeno global. Em seis quilómetros existem mais de 20 grandes géiseres, dezenas de fontes termais e jatos de vapor de gás.

Os vulcões de Kamchatka estão protegidos pela UNESCO desde 1996.

As Montanhas do Altai

Imagem №8 – 10 lugares na Rússia de visita obrigatória
© shutterstock.com

O Altai é uma região no sudeste da Sibéria Ocidental, caracterizada por uma paisagem contrastante, das estepes e taiga à tundra montanhosa e glaciares. No seu território existem quatro parques naturais protegidos pela UNESCO. A Reserva do Altai, que possui 1 500 espécies de plantas superiores, é famosa pelo Lago Teletskoye, que perde apenas para o Baikal em reservas de água doce e a única taiga Taiteli.

A principal atração do Parque Natural de Belukha é a montanha de duas cabeças com o mesmo nome, 4506 m de altura, coberta por um chapéu de neve eterna e gelo. Foi conquistado apenas no século XX.

A reserva da biosfera de Katunsky é dominada pela paisagem glacial, os glaciares ocupam até 50% do seu território. O maior deles, o rio Katunsky, alimenta o rio Katun, popular entre os entusiastas do rafting. Há também uma pitoresca cascata de lagos glaciais. E, finalmente, a zona de descanso Silencioso Ukok é um planalto no qual se encontram pinturas rupestres de artistas primitivos e locais ancestrais de sepultamento.

As montanhas douradas do Altai foram declaradas pela UNESCO como património mundial em 1996.

Istmo da Curlândia

Imagem №9 – 10 lugares na Rússia de visita obrigatória
© park-kosa.ru

Península de areia no sudeste do mar Báltico. Uma das maiores formações eólicas (criadas pelo vento) do mundo. Na Idade Média as pessoas começaram a fortalecer as formações de areia, destruídas pelo mar e pelo vento. Até o final dos séculos XVII-XVIII. Área florestal no istmo foi reduzida para 10%. As areias começaram a cobrir em assentamentos, estradas e árvores sobreviventes. Em meados do século XIX, teve início o trabalho intensivo de restauração florestal.

Hoje a faixa florestal ocupa 2/3 do território do istmo da Curlândia.

A paisagem única está protegida pela UNESCO desde 2 000.

Ninho de Andorinha

Imagem №10 – 10 lugares na Rússia de visita obrigatória
© shutterstock.com

Um pequeno castelo neogótico nos íngremes penhascos da Avorina, no sul de Crimeia. A estrutura, que recebeu o nome “Ninho da Andorinha” devido às suas dimensões (10 metros de largura, 20 metros de comprimento, 12 metros de altura) e à localização, foi criada em 1912 pelo arquiteto Leonid Sherwood.

Durante mais de um século de história, o castelo teve vários proprietários e sobreviveu a um terremoto. Originalmente pertenceu ao fabricante alemão Vladimir Steingel. No início da Primeira Guerra Mundial, o novo proprietário abriu aqui um restaurante. Nos anos 30, a construção foi reconhecida como emergência e fechou-se. A restauração da estrutura teve início apenas 30 anos mais tarde.

Agora o castelo está aberto a turistas e lá realizam-se exposições de arte.

Compartilhar nas redes sociais
Não mostrar novamente
Envie uma candidatura para uma instituição de ensino superior russa gratuitamente e sem intermediários!