Cozinha

Cozinha Nacional
© shutterstock.com

A Rússia é um país multinacional, onde se pode saborear os mais diferentes pratos, às vezes extremamente exóticos, de diversas nacionalidades, desde o chak-chak do Tatar (sobremesa de massa com mel) ao stroganina do Yakutia (peixe fresco congelado ou carne). Mas é possível encontrar cozinha tradicional russa em qualquer lugar do país. Aqui estão 12 pratos que deve experimentar na Rússia.

Shchi

Cozinha Nacional
© shutterstock.com

A sopa shchi é uma sopa com repolho, inventada no século XI. A lista de ingredientes inclui carne, temperos e molho azedo de picles de repolho. No entanto, os ingredientes podem variar dependendo do tipo de sopa (sem carne, de peixe, verde) e da habilidade culinária do cozinheiro. Muitos russos preparam esta sopa de acordo com as suas próprias receitas. Comem sopa com pão de centeio, temperam com natas ou temperos.

Pelmeni (ravioli à moda russa)

Cozinha Nacional
© shutterstock.com

Os pelmeni são, sem exagero, o prato russo mais famoso no estrangeiro. Surgiram nos Urais no final do século XIV. O nome "pelmeni" deriva de uma palavra semelhante do grupo linguístico fino-ugriano, que significa literalmente "orelha de pão". Os pelmeni clássicos contêm carne bovina moída, carne de vaca, carneiro, porco, envolta em massa sem fermento, feita com farinha, ovos e água. Os pelmeni são fervidos em água com sal. São servidos com manteiga, mostarda, maionese ou outras especiarias. Muitas gerações de russos conhecem a tradição de moldar os pelmeni juntamente com toda a família. Quanto maior a família, mais pelmeni. Parte dos que estão prontos são cozidos de imediato, o resto é congelado.

Papa

Cozinha Nacional
© shutterstock.com

A papa é como a sopa: é algo sem o qual a culinária russa é impensável. Os russos, especialmente na infância, comem sempre papa ao pequeno-almoço, pois é saudável e nutritiva. Sêmola, cevada, aveia, trigo-mourisco e mais algumas dezenas de variedades... Certamente, ser-lhe-á sugerida ao pequeno-almoço no hotel, no café, na cantina dos estudantes ou em visitas. É servido quente, generosamente temperada com manteiga. Como dizem na Rússia, não se estraga a papa com manteiga, o que significa que o que é saudável não é prejudicial, mesmo em grandes quantidades.

Bolos Russos

Cozinha Nacional
© shutterstock.com

Os bolos na cozinha russa têm quase o mesmo significado que a piza na cozinha italiana. Os bolos russos são feitos a partir de massa sem açúcar com vários recheios: carne, peixe, frutas e requeijão. Vatrúchka (torta de requeijão), kulebiaka (pastelão com carne, peixe, repolho, etc.), rastegái (empanadilla recheada com carne; de peixe, etc.), kulitch (bolo de páscoa na Rússia), shangi (semelhante a vatrúchka), kalitki (pequenas empanadas abertas com vários recheios), kurnik (torta de frango)- e esta não é a lista completa da variedades de pratos. Se tiver a oportunidade de experimentar bolos caseiros, considere-se com sorte. No entanto, em muitos estabelecimentos de restauração, a qualidade não é inferior à qualidade dos bolos feitos em casa.

Panquecas

Cozinha Nacional
© shutterstock.com

As panquecas são o prato mais antigo da gastronomia russa, que apareceu no século IX. A receita de um dos pratos russos mais famosos é bastante simples: leite, ovos, sal, mas o processo de preparação é semelhante ao artesanato, que nem todos os anfitriões conseguem dominar. A massa é vertida para uma frigideira com óleo quente, a tarefa do cozinheiro é assar a panqueca até ficar torrada uniformemente, sem grumos e impedir que queime antes do tempo. Quanto mais finas forem as panquecas, maior o nível de habilidade. Na Rússia, ainda há um ditado: “A primeira panqueca é sempre grumosa”, o que significa o falhanço no início de qualquer afazer. Normalmente, as panquecas são servidas quentes com natas, manteiga, mel ou vários recheios: carne, peixe, legumes, doces, frutas e outros. Especialmente chiques são as panquecas com caviar.

Olivier

Cozinha Nacional
© shutterstock.com

Assim como é difícil para os americanos imaginar o Dia de Ação de Graças sem o tradicional peru, e os italianos sem lentilhas e um zampone na mesa de Natal, é impensável para muitas famílias russas uma mesa de Ano Novo sem a salada Olivier, conhecida no estrangeiro como "salada russa". Assim denominada em homenagem ao seu criador, o chef Lucien Olivier, que trabalhou em Moscovo no século XIX, ganhou especial popularidade nos anos soviéticos. Não menos importante é a facilidade de preparação e a disponibilidade de ingredientes. A salada clássica soviética "Olivier" incluía batatas cozidas e cenouras, salsichas, ovos cozidos, pepinos em conserva, ervilhas e endro. Tudo cortado em pequenos cubos e envolto em maionese.

Salada de Beterraba

Cozinha Nacional
© shutterstock.com

Esta salada surgiu na culinária russa no século XIX. Inclui beterraba cozida, batata, feijão, cenoura, bem como pepinos em conserva e cebolas. É temperada com óleo de girassol. Parece uma sopa “seca” de borsch.

Pepinos em Conserva

Cozinha Nacional
© shutterstock.com

Raramente qualquer refeição na Rússia não inclui pepinos em conserva. Muitas vezes, pepinos, tomates, repolho e cogumelos da sua própria cultivação são motivo de orgulho especial para os anfitriões hospitaleiros. Um bom petisco inclui pepino salgado crocante com cheiro de endro e raiz-forte e vodka, o digestivo tradicional russo.

Compota

Cozinha Nacional
© Larisa Pashkova

A compota é uma sobremesa caseira. É o mesmo que geleia ou marmelada, mas é líquida com pedaços de bagas ou de frutas. Este doce é frequentemente feito de bagas e frutos cultivados na própria terra agrícola ou apanhados na floresta. A consistência, o sabor e a receita dependem muito da habilidade e das preferências do anfitrião. Se for convidado a experimentar compota da avó ou da mãe, não negue esse prazer.

Pastilá (espécie de maria-mole)

Cozinha Nacional
© Larisa Pashkova

A pastilá é um doce tradicional russo conhecido desde o século XIV. A sua forma e textura assemelha-se ao zefir ou marshmallows, mas tem um sabor único. Este doce de fruta foi originalmente feito a partir de maçãs Antonov, que cresciam apenas na Rússia. Desde o século XIX, esta sobremesa russa exclusiva começou a ser exportada para a Europa. Mais tarde, começaram a fazer pastilá a partir de outras variedades de maçãs e bagas. Posteriormente, o mel e o açúcar tornam-se um componente importante desta sobremesa. Antes da revolução de 1917, a pastilá de Kolomenskoye, Rjev e Belevsky (folhada) tornou-se especialmente popular. Hoje em dia, em Kolomna e Belevo, foi retomado o processo de confeção da pastilá era de acordo com as receitas antigas. Todos os tipos de pastilás podem ser comprados em lojas russas.

Kvass

Cozinha Nacional
© Larisa Pashkova

O kvass é uma das mais antigas bebidas russas que todos adoravam, desde os camponeses aos reis. Foi mencionado pela primeira vez em 1056. Até o final do século XIX, era feito como uma bebida de baixo teor alcoólico (2-3 graus) em malte de centeio com a adição de ervas picantes, bagas e sumos de frutas. Posteriormente, o kvass começou a ser produzido a partir de pão cozido no forno e pão ralado. Alguns russos ainda insistem em preparar a casa. A bebida é muito refrescante no tempo quente. Deve-se beber fresco.

Aspic (galantina)

Cozinha Nacional
© Larisa Pashkova

O aspic é um prato composto por carne gelatinosa. É preparado a partir de caldo denso com pedaços de carne, a carne é cozida durante várias horas e depois deixa-se arrefecer. É servido como uma entrada fria.

Compartilhar nas redes sociais
Não mostrar novamente
Envie uma candidatura para uma instituição de ensino superior russa gratuitamente e sem intermediários!